Rádio Resistência

Notícias

05/03/2018

"Importância do sindicato e da contribuição sindical", por Luiz Alves

Por Luiz Alves (Lula) 

Reconhecendo a importância da entidade que realiza as campanhas salariais, que defende aumentos reais de salários e a manutenção de conquistas históricas tal como a gratificação semestral existente em apenas 5 Estados do Brasil, os bancários de Sergipe aprovaram por unanimidade em assembleia ocorrida no ultimo dia 8 de fevereiro, a continuidade do recolhimento da contribuição sindical equivalente a 1 (um) dia de trabalho no mês de março, e não 3,5 dias como recolhem sindicatos de outros Estados.

E aqueles que já contribuíam para outras entidades, poderão continuar contribuindo como antes. Proponho assim refletirmos sobre duas questões:

1ª) Diante dos ataques do governo aos direitos dos trabalhadores através da reforma Trabalhista e outras decisões, precisamos cada vez mais fortalecer as entidades sindicais, independentemente de sermos filiados ou não, pois do contrário, quem irá negociar em favor dos trabalhadores em geral?

2ª) Vocês acham que fim da obrigatoriedade do recolhimento da contribuição sindical aprovada pelo governo Temer, foi para ser bonzinho para os trabalhadores ou foi para enfraquecer as entidades que têm lutado contra as reformas e contra a terceirização nas empresas, por exemplo?

Vejam abaixo como é feita a distribuição do valor total arrecadado à título de contribuição sindical dos trabalhadores:

a) 5% (cinco por cento) para a confederação correspondente;

b) 10% (dez por cento) para a central sindical;

c) 15% (quinze por cento) para a federação;

d) 60% (sessenta por cento) para o sindicato respectivo; e

e) 10% (dez por cento) para a ‘Conta Especial Emprego e Salário’;

Os recursos materializam a luta e por isso destacamos que a questão não é meramente financeira.

Nós trabalhadores precisamos nos unir e nos fortalecer, e não nos dividir e nos fragilizar.

* Luiz Alves, o Lula, é funcionário do Banco do Estado de Sergipe(Banese) e diretor do SEEB/SE