Rádio Resistência

Notícias

08/05/2018

Relatórios dos Grupos de Trabalho

Funcionários e funcionários de bancos públicos e provados debatem e aprovam  propostas para minutas específicas por bancos

O Encontro de Bancários e Bancárias de Sergipe organizou cinco Grupos de Trabalho (Banco do Brasil, Caixa Econômica, Banese, Bancos Privados e BNB) para debater propostas para minutas específicas por bancos. As sugestões foram apresentadas e aprovadas na Grande Plenária. Essas propostas de inclusão nas minutas serão encaminhadas à Conferência Interestadual Bahia e Sergipe e aos encontros nacionais da categoria. Os organizadores por bancos do SEEB/SE estão em processo de consolidação desses relatórios e mantêm abertas sugestões. Eles criaram grupos pelo whatsap para manter estreito esse diálogo.

Grupo de Trabalho do Banese

Os participantes do GT do Banese aprovaram várias propostas ao Acordo Específico vigente. Até a consolidação desse relatório, o grupo decidiu acatar outras contribuições de baneseanos e baneseanas até o próximo dia 12, pelo e-mail formacao@bancariose.com.br. O GT deliberou as seguintes propostas: “no princípio das negociações, pleitear um pré-acordo que garanta as cláusulas que atualmente já constam no acordo atual; acrescentar insalubridade e periculosidade do trabalho bancário; incluir cláusula específica para questão da compensação de horas, flexível o suficiente para servir aos interesses do bancário e não somente aos do banco. Quanto à reestruturação do SERGUS, pleitear o incentivo financeiro do banco para que os bancários, após o saldamento do plano BD, possam aderir ao plano CD; seleção interna para os cargos do CAB, com exceção do cargo de Gerente de Área; discriminação objetiva e científica dos parâmetros de pontuação, reprovação ou aprovação, utilizados nas etapas de análise psicológica e de entrevista das seleções internas e ainda garantir o retorno de incorporação de percentual sobre o salário de bancários que concluírem nível superior”.

Caixa Econômica Federal

Das deliberações, os participantes do GT da Caixa aprovaram as seguintes propostas: Caixa 100% pública; reforma do estatuto da Caixa; manutenção dos direitos do Saúde Caixa; Com relação a Funcef foi aprovado: o fim da discriminação dos empregados vinculados ao Plano Funcef REG/Replan,   exigir o pagamento do contencioso e discutir o fim do equacionamento;  aumentar o percentual legal de portadores de necessidades especial (PCDs); construir a unidade do movimento do SEEB/SE com as entidades representativas (Apcef, Agcef, Aea e Unei) na construção da greve e encontrar estratégias para a participação ativa de funcionários, entendendo que a paralisação não é férias ou folga; lutar contra a ameaça de leilão das loterias e debater a questão dos descomissionamentos.

BNB

Das resoluções, para a Cláusula de Saúde, os participantes deliberaram ‘assegurar o Plano de Saúde aos novos funcionários(as)’. Para a Cláusula Sindical, ficaram aprovados: ‘permitir aos dirigentes do SEEB/SE e da AFBNB o uso da rede interna de e-mail do banco, objetivando a comunicação de assuntos de relevância de interesse da categoria’ e ‘assegurar ao representante da AFBNB e delegado sindical o assento no Comitê Gestor do BNB, com direito a voz e voto’ e quanto à liberação de dirigentes da AFBNB, ‘garantir pelo menos um por estado’. 

Banco do Brasil

O GT do Banco do Brasil, composto por 23 bancários e bancárias, defendeu a manutenção das cláusulas do último acordo, acrescido das seguintes propostas: isonomia de direitos para os pós-98.  Apesar de ser um tema recorrente, é importante pautar os seguintes temas, para as devidas discussões nas instâncias superiores: incluir nas negociações gerais da categoria o pessoal das áreas de saúde e segurança do trabalho (SESMT), que tem normas e regras diferenciadas. Quem está nessa área técnica não pode ascender à carreira e nem pode migrar para a área administrativa do banco. Defenderam ainda a inclusão dos técnicos de saúde no índice de reajuste.  

Bancos Privados

O Grupo dos Bancos Privados reuniu funcionários do Santander, Itaú, Bradesco e Mercantil. Após os debates, os participantes deliberaram pela manutenção de direitos adquiridos nas minutas e nos acordos específicos e a defesa da isonomia. Especificamente, o grupo aprovou ainda a seguinte pauta de reivindicações:

Santander: mudança do Plano Odontológico; inclusão do direito ao Auxílio Creche estender o Auxílio Educação aos filhos solteiros até a conclusão do curso de graduação; manutenção de benefícios (ticket, plano de saúde, plano odontológico) após a aposentadoria e isonomia.    

Itaú: Atendimento dos caixas deverá ser específico para recebimento e pagamento, sem o cumprimento de metas; criar critérios para regular as metas do Plano AGIR; buscar mudanças do Plano Odontológico;  garantia de direito dos 30 dias de férias; isonomia.

Bradesco: manter os direitos específicos da minuta vigente.