Rádio Resistência

Notícias

04/06/2018

Sergipanos apoiam a greve dos caminhoneiros

Sergipanos(as) foram às ruas na tarde dessa terça-feira (29), em Aracaju (SE), em apoio às greves dos caminhoneiros e dos petroleiros. O protesto reuniu dirigentes de entidades sindicais e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, seção Sergipe (CTB-SE), lideranças do movimento social, UBM, UJS e do PSOL que exigiram a redução dos preços dos combustíveis e do gás de cozinha, e disseram não à intervenção milita

O movimento teve início na Praça General Valadão, Centro comercial da capital, e prosseguiu com uma caminhada pacífica até o início da noite. Adêniton Santana, presidente da CTB-SE, ressaltou que a greve dos caminhoneiros é justa, e que os trabalhadores brasileiros não suportam mais os constantes reajustes nos preços dos combustíveis. “Os aumentos ocorrem praticamente todos os dias, devido à política adotada por esse governo golpista de atrelar o reajuste ao barril do petróleo no mercado internacional. Isso tem um impacto direto na vida do trabalhador que paga caro pelo combustível e pelo gás de cozinha”, salientou.

Defesa

O presidente da CTB-SE disse ainda que garantir apoio à greve dos caminhoneiros e dos petroleiros é um dever de todos. “Por isso estamos nas ruas e vamos manter a luta em defesa do povo”, enfatizou. A presidenta do Sindicato dos Bancários de Sergipe, Ivânia Pereira disse que o governo Temer não tem compromisso com a classe trabalhadora, com as mulheres e com a população mais carente, apenas com o capital internacional.

A dirigente convocou o povo a vir às ruas para defender as greve dos caminhoneiros e dos petroleiros. “Só a luta nos garante”, afirmou. Maria da Pureza Sobrinha, presidente da , seção Sergipe, ressaltou que o brasileiro sofre hoje os reflexos do golpe de 2016, e de uma política desastrada implementada pelo governo golpista de Temer. A liderança se posicionou contra a intervenção militar e defendeu o direito do povo de escolher seus governantes. “Defendemos o movimento dos caminhoneiros, mas discordamos da pauta que pede a intervenção. Isso é um equívoco. A saída é a realização de eleições livres, onde a população exerça O direito de escolher seus governantes”, afirmou.

Além dessa manifestação na capital, houve protestos também nas rodovias 235 e 101 que cortam o estado. A PRF e a Polícia Rodoviária Estadual registraram manifestações na Colônia Treze, em Lagarto; em Ribeirópolis; no Povoado Pau Ferro, em Maruim; e em Riachão do Dantas. Os caminhoneiros continuam paralisados em seis pontos às margens das rodovias sergipanas.

Fonte: CTB Sergipe