Rádio Resistência

Notícias

07/08/2018

Proposta da Caixa não contempla nem a metade do acordo atual

De acordo com o secretário da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe (FEEBA BASE), Emanoel Souza, na 5º Rodada de Negociação realizada nesta terça-feira (7), as propostas apresentadas pela direção da Caixa Econômica Federal não contemplaram “sequer metade do que já temos no Acordo atual”.

Segundo a liderança sindical, nas questões econômicas, a Caixa afirmou que seguirá a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). A próxima rodada com Caixa será no dia 17 deste mês, após a negociação do Comando Nacional dos Bancários com a Fenaban. Em todo o País, nesta quara-feira (8), os bancários e bancários realizaram assembleias para apreciar e deliberar sobre as propostas apresentadas pelos patrões. 

“Além disso, a Caixa não garante a PLR social e não deu resposta a temas como: Incorporação função; ATS; Isenção de anuidade e tarifas bancárias; Suplementação Auxílio doença; Adicional insalubridade; bolsas de estudo. Os dirigentes da Caixa não contemplaram sequer a negociação permanentes e todos os GTs referente a saúde trabalhador, Funcef e Saúde Caixa. No tocante ao Saúde, chegaram ao ponto de propor uma cláusula na qual nos obriga a referendar a CGPAR”, relatou Emanoel Souza.

Em uma das intervenções, o dirigente da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe conta que o representante do banco afirmou que "a Caixa ofereceu aos empregados e respectivos dependentes de assistência à saúde em modalidade, forma e condições MODIFICÁVEIS A QUALQUER TEMPO, respeitadas as normas da ANS E ORIENTAÇÕES ESTABELECIDAS PELA CGPAR"

Com as indecorosas propostas, a Comissão dos Empregados (CEE) reafirmou que a categoria não aceitará nenhum direito menos. “Chegou a ser irritante a postura da Caixa de não apresentar uma proposta completa que possibilite uma negociação ‘pra valer’. Isso só vai modificar com uma mobilização efetiva da categoria”, protestou Emanoel Souza.

Por Déa Jacobina Ascom SEEB/SE