Rádio Resistência

Notícias

10/01/2019

Mourão diz que filho continua no cargo do BB

Mesmo com toda polêmica envolvida, o vice-presidente Hamilton Mourão foi taxativo ao afirmar que o filho Antônio Hamilton Rossell Mourão ficará, sim, no cargo de assessor especial da presidência do Banco do Brasil. Vai ganhar salário de R$ 36,3 mil, o triplo do atual.

Antônio Hamilton Rossell Mourão é funcionário carreira do BB há 18 anos. Há 11 anos ocupava o cargo de assessor na área de agronegócio, com rendimento médio de R$ 14 mil. Com a promoção, pula três níveis hierárquicos.  

Quer dizer, enquanto poucos são privilegiados com os arranjos políticos, muitos bancários se aposentam sem subir um degrau dentro da instituição. Realmente um desrespeito com quem tanto se dedica ao crescimento do banco, o funcionário. 

O vice-presidente insiste que não teve nada a ver com o novo cargo do filho. Segundo ele, o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, conheceu Antônio Hamilton e o convidou para ser assessor. Acredite se quiser.

De acordo coma Reuters,  a nomeação causou insatisfação entre funcionários do BB, porque pode enviar um sinal de ingerência política no comando da instituição. Em nota, o banco afirmou que o cargo de assessor “é de livre provimento da presidência do BB e a nomeação atende aos critérios previstos em normas internas e no estatuto do banco”.

Também em nota, Novaes acrescentou que o assessor indicado “é de minha absoluta confiança. Foi escolhido para minha assessoria e nela continuará, em função de sua competência. O que é de se estranhar é que não tenha, no passado, alcançado postos mais destacados no banco.”

Já o vice-presidente Hamilton Mourão argumentou que seu filho foi escolhido por seus “excelentes serviços, conduta irrepreensível e por absoluta confiança pessoal do presidente do banco”. E acrescentou: “Em governos anteriores, honestidade e competência não eram valorizados”.

Ascom SEEB/SE. Fonte SEEB/ BA e Reuters