Rádio Resistência

Notícias

17/09/2019

Sergipanas participam do 3º Encontro das Bancárias

Debates reafirmam que a luta por uma sociedade mais justas tem de ser dos homens e das mulheres

Uma comitiva sergipana de funcionárias de instituições financeiras participou do 3º Encontro das Bancárias da Bahia Sergipe: Alexandra Cunha Gois (BNB), lara Fabiane (Bradesco), Joline Oliveira (Caixa), Rosângela de Jesus (Banese), Armandina Silva (Bradesco), lavínia Talita (Banese) Lélia Ferreira e Pureza Sobrinha (BB).     

Dos temas, o encontro promoveu debate sobre gênero, classe, trabalho e combate à violência contra a mulher e aconteceu no último dia 14 em Salvador. A mesa de abertura foi dirigida pela diretora de Gênero da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Grassa Felizola. A diretora ressaltou que “a luta por uma sociedade igualitária e justa é uma luta de homens e mulheres e é ainda mais importante neste momento difícil que om país está passando, com um governo que investe diariamente contra os direitos dos trabalhadores, em especial das mulheres”, disse. Veja mais no www.bancariose.com.br.

A mesa de abertura estavam ainda o presidente da Federação dos Bancários dsa Bahia Sergipe, Hermelino Neto; a presidenta do Sindicato de Feira, Sandra Freitas; o presidente do Sindicato da Bahia, Augusto Vasconcelos; a representante do Sindicato de Sergipe, Maria da Pureza Sobrinho, além da ex-deputada Ângela Albino, a ex-senadora Vanessa Grazziotin e a secretária e Políticas para as Mulheres da Bahia, Julieta Palmeira.

Ao abrir oficialmente o evento, Grassa Felizola ressaltou a importância de realizar um evento para discutir os direitos das mulheres. “Esta é uma luta de homens e mulheres que lutam por uma sociedade igualitária e justa. Esta luta é ainda mais importante neste momento difícil que om país está passando, com um governo que investe diariamente contra os direitos dos trabalhadores, em especial das mulheres”, disse.

O presidente da Feebbase, Hemelino Neto, também reforçou a relevância da realização do encontro das mulheres, mesmo diante das dificuldades impostas às entidades sindicais pela reforma trabalhista. “Eventos como estes são importantes para o movimento sindical, pois as mulheres são as principais vítimas do assédio moral e sexual no ambiente de trabalho. Precisamos sair daqui munidos de forças para levar o que discutimos aqui a todos os locais de trabalho”.

Trabalho e combate violência

A primeira palestrante do dia foi a ex-deputada federal Ângela Albino (PCdoB – SC), que falou sobre conjuntura atual, que é marcado pela nova fase do capitalismo mundial, que tem como características o ultraneoliberalismo na economia, o autoritarismo e o conservadorismo nos costumes.

“No mundo do trabalho, as mulheres vivem as condições de trabalho mais precarizadas e são maioria nas categorias de alta informalidade. Apesar disso, as mulheres foram as locomotivas do mercado de trabalho brasileiro e tem importância fundamental para o desenvolvimento do país”, constatou.

Em seguida a titular da SPM Bahia, Julieta Palmeira, apresentou as ações da campanha “Respeite as Mina”, do governo do estado, que vem tendo alcance nacional com o combate às diversas formas de violência contra a mulher, mesmo aquelas que muitas vezes passam despercebidas pela sociedade.

Ascom com Fonte do Portal da Feebbase