Rádio Resistência

Notícias

24/03/2020

Suspensão do atendimento presencial em cidades da Bahia e Sergipe

Após pressão do movimento sindical, a prefeitura de diversas cidades do interior da Bahia e de Sergipe determinaram a suspensão do atendimento presencial nas agências bancárias.

O movimento sindical luta para que todas as agências desses estados e também do Brasil tenham o atendimento ao público suspenso, garantindo o atendimento nos casos excepcionais. Esta é uma das formas de reduzir a proliferação do novo coronavírus nas agências e também na população, visto que a doença é de fácil transmissão.

“Os presidentes e presidentas dos sindicatos têm feito um esforço gigantesco, com um olhar social e também um olhar de cuidado com a categoria bancária, estagiários, terceirizados, vigilantes e serviços gerais, pessoas que trabalham nas agências além da população. Ainda não é um número expressivo em relação ao número de municípios da Bahia e Sergipe, mas já estimula que outras decisões sejam tomadas”, segundo o presidente da Feebbase, Hermelino Neto.

Vale ressaltar que o autoatendimento continuará funcionando de forma contingenciada, assegurando a saúde dos clientes.

O presidente dos Sindicatos dos Bancários de Ilhéus, Rodrigo Cardoso, afirma que o movimento sindical ainda está em diálogo para liberar o maior número de funcionários possível. “Os grupos de risco já foram liberado. Quem pode ir para o teletrabalho também. Estamos estimulando que as agências no mínimo estabeleçam rodízio, para liberar o máximo de funcionários e limitem o funcionamento das salas de autoatendimento, inclusive com redução de horário, para que os funcionários fiquem nas agências o menor tempo possível”, completou.

O presidente do Sindicato dos Bancários de Irecê, Carlos Alberto, informa: “O Sindicato conseguiu um acordo importante com os prefeitos da região de Irecê, que garantiu o modelo de atendimento contingenciado e a suspensão do atendimento presencial nas agências. Foi um bom acordo porque não abandona o atendimento à população mas preserva a saúde dos bancário e clientes”.

FONTE: FEBBASE