Rádio Resistência

Notícias

30/11/2021

Em reunião com a Fenaban, Comando dos Bancários se opõe ao retorno dos (as) funcionários (as) que estão em teletrabalho

Pesquisa sobre as sequelas da Covid-19, realizada pela Unicamp, deve ser apresentada na próxima semana

O Comando Nacional dos Bancários se reuniu com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para discutir o retorno dos trabalhadores que estão em home office. Sem considerar os riscos para os empregados e empregadas que têm comorbidades dentro das agências, alguns bancos já convocaram os (as) funcionários (as) para retornarem às unidades e demais locais de trabalho, A reunião aconteceu nessa segunda-feira (29/11).

O Comando reforçou que é totalmente contra o retorno da parcela da categoria que tem comorbidades. Reivindicou que até o final de dezembro o tema continue sendo discutido e que nenhum banco continue convocando os trabalhadores, diante de tudo que está acontecendo no mundo com a pandemia, inclusive com o surgimento de novas variantes.

Uma pesquisa sobre as sequelas da Covid-19, realizada pela Unicamp, deve ser apresentada na próxima semana. Os representantes dos bancários querem que a Fenaban reflita sobre esse tipo de atitude. O risco de contaminação ainda está elevado e as pessoas ainda precisam tomar cuidado. Os (as) funcionários (as) que se sentirem prejudicados com a convocação dos bancos que estão implementando o retorno ao trabalho presencial devem procurar os sindicatos.

Na ocasião, foi cobrada a manutenção das medidas protetivas nas agências, como aconteceu em 2020, no início da pandemia, a exemplo do uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e todo controle para diminuir as chances de contaminação. Outro debate feito foi sobre o fato de algumas prefeituras que têm decreto liberando o uso das máscaras.

Os dirigentes sindicais afirmaram a oposição à medida e defenderam que em caso de retorno, "bancos intervenham para que dentro das agências as pessoas possam garantir a segurança usando os equipamentos, mantendo o distanciamento e usando máscara". "Os sindicatos devem também tomar algumas medidas em direção contrária ao posicionamento do poder público. Queremos trabalhar de forma segura”, afirmou o presidente da Federação da Bahia e Sergipe, Hermelino Neto, durante a reunião. 

Reclamações

De forma justa, os bancários e bancárias que estão trabalhando presencialmente têm reclamado muito da sobrecarga de trabalho e adoecimento e o Comando cobrou da Fenaban mais contratações. A reivindicação é que nenhum trabalhador do grupo de risco esteja dentro das agências. O problema poderá ser solucionado a partir de novas contratações e concurso público, no caso dos públicos.

Em uma atitude assediadora, alguns bancos estão mandando os funcionários em home office teletrabalho ou com algum tipo de comorbidade procurarem o INSS para se afastar quando, na verdade, deveriam ampliar o teletrabalho.

VA E VR

Na reunião dessa segunda-feira (29/11), o Comando também abordou sobre os ataques aos vales alimentação e refeição dos (as) bancários (as). Apesar da preocuação, a categoria tem a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) que garante o pagamento do Vale Alimentação (VA) e do Vale Refeição (VR). O movimento sindical segue trabalhando para derrubar o Decreto 10.854, enquanto o governo Bolsonaro trama todos os dias contra os trabalhadores. Apesar da intenção de atacar as conquistas e direitos, a luta para derrotar as ameaças à classe trabalhadora será mantida.

Fonte: Feebbase