Rádio Resistência

Notícias

14/05/2019

Santander: Dia de Luta por melhorias no Ben Vale

Funcionários e funcionárias não podem ser prejudicados por um problema de gestão de um produto do banco

A Diretoria do Sindicato dos Bancários de Sergipe (SEEB/SE) seguindo orientação do Comando Nacional dos Bancários está cobrando solução concreta do Santander relativo aos novos vales alimentação (VA) e refeição (VR) dos(as) funcionários(as) do Ben Vale. O Ben Vale _ uma marca própria do banco_ entrou em vigor no dia 30 de abril. Porém, os(as) funcionários(as) têm tido muita dor de cabeça na hora de usar os novos VA e VR. 

Os protestos estão sendo realizado hoje, dia 14 de maio, em todo o País:  Dia de Luta contra a persistência das dificuldades para utilização do Ben Vale.  

 

De acordo a secretária-geral do SEEB/SE, Jeane Brito, em Sergipe, o maior problema está com a falha no sistema do cartão com os estabelecimentos credenciados.  Em outros estados, a reclamação também é a insuficiência no número de estabelecimentos comerciais credenciados. Há problemas ainda no site da bandeira: relatos de funcionários que foram constrangidos na hora de pagar com o cartão e são informados que o estabelecimento desconhece o Ben Vale, embora a página eletrônica indique como cadastrado.

O banco alterou a bandeira do VA e VR para a Ben Visa Vale, mesmo após o movimento sindical alertar sobre os possíveis problemas.

Não é justo que os funcionários e funcionárias sejam prejudicados por um problema de gestão de um produto do banco. Bancários estão tendo que usar recursos próprios para as refeições diárias e para as compras em supermercados, o que viola um direito que é garantido no acordo coletivo.

Das cláusulas 14 e 15 da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), os bancos devem fornecer o VA e o VR de forma antecipada e mensalmente até o dia último dia do mês anterior ao benefício.

As representações da categoria bancária exigem a imediata resolução, ou que os valores correspondentes ao VA e VR sejam creditados nas contas dos funcionários enquanto o banco não conseguir estabilizar a rede credenciada.

No Dia de Luta os funcionários do Santander também protestam contra a desatualização do valor pago por quilômetro rodado nos deslocamentos que os trabalhadores precisam fazer para atender os clientes, a abertura de agências aos finais de semana e a retirada das portas de segurança das agências.

Ascom SEEB/SE com fonte do SEEB/BA e Contraf