Rádio Resistência

Notícias

07/06/2021

SINDICATOS CONQUISTAM AUDIÊNCIA COM O GOVERNO FEDERAL E SUSPENDEM A GREVE DE 24H

Pela pressão da categoria realizada nas últimas semanas, o Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) conseguiram agendar uma reunião com o governo federal para discutir a entrada da categoria no Plano Nacional de Imunização (PNI). Devido a abertura desse canal de comunicação, na Plenária dos Bancários realizada com os sindicatos dos bancários da Bahia e de Sergipe nesta segunda-feira (07/06), foi decidida pela suspensão da greve marcada para esta terça-feira (08/06).

Em Sergipe, nesta terça-feira (08), a partir das 7h, o Sindicato dos Bancários vai manter as pressões pela vacinação com um ato na porta do Centro Administrativo da Prefeitura de Aracaju. 

Reunião agendada em Brasília será no dia 15/06

A reunião agendada pela Fenaban será realizada no dia 15 de junho e contará com representantes da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, da Fenaban e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). O encontro é fruto das inúmeras tentativas de negociação que foram iniciadas em dezembro de 2020, quando o governo federal negligenciou os bancários e bancárias de todo o país ao não incluir a categoria na lista de prioridades para imunização.

A Plenária dos Bancários foi dirigida pelo presidente da Feebbase, Hermelino Neto. De acordo com a presidenta do (SEEB/SE) Ivânia Pereira, a interlocução da Fenaban representou um fato novo na luta pela vacinação. “Conseguimos mover a Fenaban, que agendou uma reunião com o governo federal. Não apenas aqui em Sergipe, mas os sindicatos dos bancários das cidades da Bahia que também são filiados à Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe também realizaram vários atos e carreatas que colocaram a nossa pauta entre a Fenaban e o governo federal”.

Para o presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos, a audiência agendada é fruto de todo o movimento realizado anteriormente, como a carreata que aconteceu no último sábado (04), na Bahia e em Sergipe. “Essa reunião aponta um primeiro passo para que a categoria seja imunizada. O objetivo da paralisação foi alcançado, que é conseguir o diálogo com o governo, porém a luta não acabou. Fizemos uma fundamentação técnica científica que será apresentada para respaldar a imunização da categoria”, afirmou Augusto Vasconcelos.

Bancários, vigilantes e prestadores de serviço não pararam durante a pandemia, prestando serviços considerados essenciais, como o pagamento do auxílio emergencial, enfrentando aglomerações. Imunizar a categoria neste momento garante a vida de milhares de trabalhadores, assim como a segurança dos clientes que transitam nas agências.

Durante a plenária também foi ressaltado os esforços desempenhados pelos sindicatos da Bahia e Sergipe durante toda a pandemia, na luta pela garantia de direitos. Todos reafirmaram que continuam em estado de greve, atentos para o que pode ser decidido na próxima reunião com o governo, com esperanças de que haja avanços para imunização dos bancários.

Em todo o país são cerca de 400 mil bancários e bancárias. Na Bahia e Sergipe, são 21 mil.